terça-feira, 18 de setembro de 2007

Cristo e o Papa 2

Cristo não conheceu o pecado. Os alto-proclamados "Vigários de Cristo" tiveram vidas tão depravadas que deixaram uma história de adultério, suborno, embriaguez, fornicação, incesto, assassinato, estupro, sodomia, deslealdade e corrupção. Depois de uma visita a Roma, o grande poeta italiano Dante descreveu o Vaticano como um "esgoto da corrupção".

Das ordens
Cristo disse para os seus seguidores manterem os mandamentos. Os Papas têm metodicamente os violado. Em vez de praticar "Não matará", Inocêncio III (1198-1216) não só ultrapassou todos seus predecessores em matar, mas fundou a instituição mais diabólica da história –a Inquisição, que durante mais de quinhentos anos foi usada pelos seus sucessores para manter o poder contra aqueles que não concordavam com os ensinos da Igreja Católica. É calculado que a Igreja ao longo da história foi responsável pela morte de mais de 100 milhões de pessoas. ,

De paz

Cristo disse: "Abençoados são os pacificadores". Papa Julius II (1503-13) teve uma paixão por guerra que beirava a loucura. O seu pontificado foi uma eterna guerra e a Europa não conheceu a paz durante o período de sua vida. Qualquer pessoa pode facilmente imaginar o estado da Igreja debaixo de um "Vigário de Cristo" que passava o seu tempo em um acampamento de guerra, entre o estrondo dos exércitos, e que não conheceu nenhuma outra glória além daquela obtida em uma guerra ou na pilhagem de uma cidade. Os seus sucessores continuaram esta agressiva tradição fielmente, apoiaram ditadores e incitaram discussões para alcançar seus alvos corruptos.

Atualmente as nações, principalmente da Ásia e das Americas, estão sendo levadas a acreditar que a natureza e os alvos do Pontífice romano e da sua Igreja não são os mesmos que eram antes; mas Roma é sempre e em todos lugares "Semper Eadem", sempre a mesma. Como ela foi ao longo dos séculos, desde a sua formação, assim ela permanece hoje, a não ser que agora ela está lidando com política mais astutamente do que antes.

Assim é que Crowley, advertindo da sede de Roma por sangue americano, declara o seguinte como "o veredicto da História":

* Onde o clero é livre, as pessoas são as escravas!
* Onde o clero é rico, as pessoas são pobres!
* Onde o clero ensina, as pessoas são ignorantes!
* Onde o clero prospera, progresso é paralisado!
* Onde o clero conduz, ele conduz em miséria, escravidão, pobreza, superstição, perseguição e ruína!

[Citado por Crowley, pág. 203.]

O político, ensaísta, poeta e historiador inglês do século XIX, Senhor Macaulay, mais conhecido pela sua obra "History of England", memoravelmente descreveu o sistema Papal:

"A experiência de doze séculos cheios de acontecimentos, a ingenuidade e a paciencia de quarenta gerações de estadistas, melhoraram a diplomacia [da Igreja Católica] a tal perfeição que, entre os artifícios inventados para enganar e oprimir a humanidade, esta ocupa o lugar mais alto." [Citado por Crowley, pág. 203.]

Hoje, como sempre, o mesmo "Vigário de Cristo", "Nosso Senhor Deus o Papa", "o Rei do Céu, Terra e Inferno", enquanto reivindicando representar o humilde Nazareno, ainda usa uma coroa tripla de valor inestimável e batas resplandecente com jóias! Como Crowley disse bem [pág. 205]: "Cristo não teve lugar para colocar a sua cabeça. O Papa mora em um Palácio de quatro mil quartos! Isso é um escárnio! Que ilusão! Que imensa armadilha é o Papado!"

0 comentários: